segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Dilemas de mãe

Desde que ela nasceu estou em casa com eles os dois,agora ele vai à escola de manhã,mas de resto estou sempre com eles.E se por um lado è muito bom poder ser eu a cuidra deles,por outro tambèm me faz falta sair,ter o meu tempo,ver adultos,ter conversas de adultos,e acima de tudo sentir-me ùtil e contribuir para a conta bancària cà de casa..
O problema è que aqui em França,as leis são feitas para as mulheres estarem em casa,ou então temos de ter um bom salàrio,que compense o sair de casa!
Eu que ganho o salàrio minimo,se for trabalhar,metade ou talvez mais vai para a ama que tenho de ter para ela e para ele,sim,para ele,porque saio de casa às 5h da manhã e o pai às 7h,logo alguem tem de o levar à escola,e ficar com ele à quarta que è o dia que não tem escola o dia todo..sem falar nos 15 dias de fèrias que tem a cada 6 semanas..fixe não è?
neste momento estou de licença parental e tenho o contrato suspenso atè janeiro,ganho 380 euros para estar com eles em casa e tenho a possibilidade de ficar mais 2 anos,ou seja atè aos 3 dela..
jà sei que vão dizer,"ah isso è muito bom e tal e tal"..
não,não è muito bom,não chega nem para a renda,as coisas aqui não são ao preço de portugal!
E o pior è que mesmo sabendo que è bom poder estar com eles o tempo todo,tambèm preciso de estar "sozinha"!
E agora ando aqui neste dilema,voltar ao trabalho ou não em janeiro!?..
E não è fàcil decidir,de um lado estou eu e este sentimento de inutilidade,de fazer sempre a mesma coisa todos os dias,..
e do outro estão eles,o bem estar deles,o saber que se for trabalhar vou chegar ao fim do mês com quase o mesmo que se tivesse em casa,o saber que vou obrigar o pai a levantar se,e a eles,às 5h30 ou 6h da manha para deixa los na ama antes das 7h...ama essa que me vai ficar com mais de metade do salàrio..

complicado,complicado isto..marido não quer que và trabalhar claro està e eu,eu sei là..sei là bem o que fazer..
ainda tenho atè dezembro para decidir è certo,mas passa ràpido e a decisão não està fàcil!

3 comentários:

Magda E. disse...

entendo o teu dilema, mesmo, mas eu ficava em casa. eles crescem depressa, qd damos por isso já cresceram. tb me sinto cm tu muitas vezes, mm porque nem tenho salário algum, mas é um esforço, qd crescerem voltaremos a ter tempo p nós e vamos sentir falta de qd os tinhamos por perto. mas claro, isso é uma decisão q só tu podes tomar. bj

Isa disse...

Olá querida!
Como eu te compreendo! Por um lado não me posso queixar, pois tive a possibilidade (forçada) de estar em casa com os meus pequenitos a maior parte do tempo desde que nasceram! Confesso que foi bom... fui eu a primeira pessoa a ver cada uma das suas conquistas, a acompanhar as suas evoluções... Foram dois anos!!
Mas por outro lado a sensação de que os dias eram quase sempre iguais, de não ter tempo para fazer nada do que queria, o não ter tempo para mim... Após esses dois anos, decidimos inscrever os dois na escola. Antes não quis pois achava que ainda era muito novo e tendo a possibilidade de continuar comigo em casa, melhor! São anos muitos importantes, que passam rápido e não voltam mais!
Neste momento foram os dois para a escola, estão em casa e tenho todo o tempo do mundo para mim!! :)
No teu caso é mesmo uma questão de ponderação: ver os prós e os contras... ver se o esforço da família compensará o pouco de salário a mais no final do mês (após retirados os gastos extra)!
Ouve o teu coração... normalmente nunca se engana!! Beijo grande

Anónimo disse...

Compreendo as tuas dúvidas. Não é fácil. Aqui em Portugal vivo outro dilema, engravidar do 2.º filho ou não... tendo noção das consequências que poderão advir desta tomada de decisão :(

Beijinhos, faz o melhor para ti pesando na balança as vantagens/desvantagens das 2 hipóteses.

Raquel

Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers